Aguarde...
Brazil Cartoon International
Brazil Cartoon International

Brazil Cartoon entrevista a artista Marilena Nardi

04/01/2018

O Brazil Cartoon entrevistou a artista italiana, Marilena Nardi. Ela fala sobre sua paixão pela arte, sua carreira e suas vindas ao Brasil. 

Marilena Nardi nasceu em 1966 em Chiampo, não muito longe de Vicenza. Após o diploma de Bacharel em Estudos Artísticos (1986) e o Diploma em Escultura (1990), dedicou-se ao ensino: desde 1992 é professora de Anatomia de Arte na Academia de Belas Artes de Veneza e desde 2003 tem sido Ilustração também.

Ela ainda cuida do humor gráfico. De 1984 até agora, ela participou de mais de uma centena de exposições e festivais sobre humor gráfico e ilustração na Itália e em todo o mundo. Muitos são os prêmios que ganhou.

Algumas de suas obras são mantidas nos museus de humor gráfico de Bajardo, Bronzolo, Tolentino, Istambul, Teerã, Zemun e o Museu de Ciência e Tecnologia de Milão.

Fonte: Site Oficial

1) Como teve início a sua paixão pela arte?

Resseio de não poder dar uma resposta muito original. Sempre gostei de desenhar. Tive a oportunidade de estudar as artes plásticas e depois de aprofundar os meus conhecimentos em escultura. Então, a passagem da minha paixão pelo desenho á paixão pela Arte foi progressiva, sem um momento certo.

2) Como foi trabalhar na Academia de Belas Artes de Veneza?

A Academia de Veneza representa algo de especial para mim. Lá, estudei a escultura e, em seguida, depois de passar um concurso nacional muito seletivo, voltei para o meu primeiro trabalho importante, aquele que me permitiu ser independente. Isso era suficiente para eu o amar. Na verdade, mais que a academia, gosto dos meus estudantes e o trabalho que partilho com eles. Talvez eu seja uma professora ligeiramente anormal. Eu não dou aulas no sentido literal, mas partilho os meus conhecimentos e tento que eles exprimem o seu potencial. Eu considero o ensino como um caminho partilhado. Um privilégio é uma razão de orgulho e felicidade.

3) Qual a sua exposição mais marcante?

Trabalho há alguns anos sobre o tema do amor e, especialmente, sobre seus mal-entendidos, estendendo-o além do sentimento geralmente entendido como uma relacão do casal. Os resultados desta pesquisa são uma série de desenhos que eu exibi anteriormente na Itália, na Rocca du Boiardo em Scandiano, e com novos desenhos na França, primeiro em Marselha no Festival Estaque e depois em Saint-Juste le Martel no outono passado. Tenho programado outra exposição na Itália no final de Janeiro, no MAGA em Bergamo. É provável que eu mantenha o mesmo título das duas exposições anteriores, ou seja, "Além do Amor".

4) Já veio ao Brasil para expor seu trabalho? Caso não tenha vindo, pretende?

Sim, para duas exposições pessoais. A primeira em 2012 em Piracicaba, fui membro do Júri do 39° Salão Internacional do Humor de Piracicaba. O cartunista e coordenador do CEDHU, Edu Grosso, organizou minha exposição do feliz título “Una donna di poche parole” (uma mulher de poucas palavras). A segunda vez em Recife, onde fui membro do Júri do II salão Internacional de Humor Gráfico de Pernambuco. Meu amigo e cartunista, Samuca Andrade, fundador e organizador do evento, organizou uma exposição para cada membro do jurí.

5) Em quais museus estão expostos o seu trabalho?

Se me lembro bem, em Bajardo, Bronzolo, Tolentino, Istanbul, Tehran, Zemun e no Museu da Ciência e Tecnologia de Milão.

6) Qual a sua obra preferida?

Há muitas, de autores e tempos muito diferentes. Mas desde há muito eu sempre mantive no meu coração a Pietà Rondanini, de Michelangelo, sua última escultura, a mais anormal. Eu gosto por várias razões, algumas muito pessoais. É uma escultura que deve ser vista de perto, mas deveria ser tocada, sentida, explorada com as mãos. É uma obra que diz a dor de um homem, de uma mãe, de uma humanidade inteira. E quem conta muito sobre Michelangelo.

7) Possui planos futuros? Se sim, quais?

Não. Dexei de fazer planos para o futuro. A vida tem muito mais imaginação que eu, então eu decidi me render às surpresas e navegar à vista.

Tradução: Ângelo Frade
Por: Jonas Martins - Acadêmico de Jornalismo

 

Confira algumas obras da artista:

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 




Copyright 2007-2018 - BRAZIL CARTOON Internacional
Todos os Direitos Reservados
Desenvolvido por: